Livros: Indicações para professores

Você já leu algum desses?

Texto Divulgação | Adaptação Giovanna Henriques | Foto Shutterstock

 

 

ATIVIDADES NEUROPSICOPEDAGÓGICAS DE INTERVENÇÃO E REABILITAÇÃO
Autor: Simaia Sampaio
Editora: WAK
Edição: 2015 / 180 páginas
Assunto: Pedagogia
As atividades contidas neste livro foram desenvolvidas no contexto da intervenção psicopedagógica com a finalidade de estimular o raciocínio lógico, a linguagem, a atenção auditiva e visual, a memória auditiva e visual, o rastreamento visual, o desenvolvimento de estratégias, o planejamento, o treino de orientação temporal e espacial, o controle inibitório, a coordenação visório-motora, a lateralidade, a sequência, a classificação e o cálculo. Crianças com dificuldades de aprendizagem, com transtornos de aprendizagem e mesmo aquelas com transtorno do déficit de atenção e hiperatividade podem apresentar mau funcionamento em um ou mais destes componentes importantes para seu desenvolvimento acadêmico, merecendo especial atenção por parte de quem está envolvido em seu processo de aprendizagem.

 

A CONSTRUÇÃO MORFOLÓGICA DA PALAVRA
Organizadoras: Angela Rodrigues, Ieda Maria Alves
Editora: Contexto
Edição: 2015 / 400 páginas
Assunto: Gramática
A obra estuda a construção da palavra como unidade lexical – objeto da Morfologia Derivacional – e o estudo das flexões dos vocábulos – domínio da Morfologia Flexional. Evidencia-se também ao longo dos capítulos que as fronteiras entre as duas partes não são nítidas e costumam se superpor. Voltado especialmente a professores e alunos de cursos de graduação da área de Letras e Linguística, este livro apresenta análises atuais e aprofundadas, embasadas nas pesquisas de grandes especialistas.

 

EDUCAR NA CURIOSIDADE. A CRIANÇA COMO PROTAGONISTA DA SUA EDUCAÇÃO
Autora: Catherine L’Ecuyer
Editora: Edições Fons Sapientiae
Edição: 2016 / 192 páginas
Assunto: Educação infantil
Como conseguir que uma criança que fique quieta observando com calma o que a cerca? Como ensiná-la a esperar antes de ter, pensar com motivação para aprender sem medo de se esforçar? Como educar crianças hiperestimuladas pelo volume de atividades ou pelo uso excessivo de dispositivos tecnológicos? Como torná-las protagonistas de sua própria educação? Essas são algumas questões que afligem pais e professores em meio a tantas mudanças e avanços tecnológicos.