A importância da Pedagogia

A Pedagogia defende que um bom docente não basta somente ter o domínio do conteúdo, mas é preciso saber transmití-lo

Texto Bianca Acampora | Adaptação Isadora Couto | Foto Shutterstock

Grandes desafios são impostos diariamente aos profissionais da área da educação para o ofício de ensinar. Seja em qualquer etapa ou segmento da educação, desde a educação infantil até o ensino superior e a pós-graduação, cada vez mais se tornam importantes novos métodos, técnicas e estratégias de ensino. O desafio de manter a atratividade das aulas veio com o advento da tecnologia e da globalização. Uma informação que há algum tempo atrás só constava no livro didático ou em enciclopédias, hoje está na internet, compartilhada em redes sociais e ao alcance dos estudantes em frações de segundos. Dessa forma, a grande pergunta é: como o docente deve agir diante de tal cenário? Os conhecimentos oriundos da Pedagogia dão subsídios para uma aula mais criativa, inovadora e que desperte o interesse e a manutenção da atenção dos estudantes. O bom docente desenvolve as competências de seus estudantes através de conteúdos contextualizados, utilizando planejamentos criativos, e flexíveis. Tais atitudes estão previstas na didática. Para ministrar suas aulas com sucesso, é necessário ter domínio da teoria, colocá-la em prática, refletir criticamente sobre sua própria teoria e prática e reconstruir sua prática. É a reflexão-ação-reflexão que constitui a práxis pedagógica (relação entre teoria e prática).

 
A pedagogia defende que um bom docente deve saber fazer a transposição didática. Ou seja: não basta apenas ter o domínio do conteúdo, é necessário saber transmiti-lo com uma linguagem acessível ao aluno, trocando ideias e experiências e levando em consideração o conhecimento prévio do aluno. A transposição da linguagem científica para a linguagem ensinável promove um nível de aprendizado maior em qualquer etapa do ensino. A pedagogia é a área que trata dos princípios e métodos de ensino e da condução dos assuntos educacionais. De acordo com Dermeval Saviani, no texto: “Pedagogia: O espaço da educação na universidade”, as estratégias de ensino e aprendizagem possibilitam conhecer a forma como os alunos aprendem, auxiliando o docente a intervir no processo de aquisição do conhecimento, proporcionando ao aluno aprender a aprimorar sua aprendizagem. O paradigma atual é o ecossistêmico, que vê o sujeito e o processo como um todo, onde o professor é mediador e estimulador da aprendizagem. De acordo com Saviani, os objetivos das instituições de ensino e dos cursos concretizam-se no currículo que, por sua vez, é efetivado por meio das atividades de ensino, visando atingir resultados em termos de qualidade cognitiva, operativa e social das aprendizagens. O conjunto currículo-ensino constitui os meios mais diretos para se atingir o que é nuclear na escola, a aprendizagem dos alunos, com base nos objetivos. As atividades de planejamento são muito importantes para a execução do currículo e do ensino, pressupondo a elaboração de projetos, como se dará o processo de avaliação e as estratégias utilizadas em sala de aula. Tais atividades estão englobadas nos eixos de estudo da Pedagogia. A sala de aula é um lugar estratégico.

 

 
Lá os professores podem estimular a formação e o comportamento dos alunos: sua postura em relação ao conhecimento específico de sua matéria, aspectos do relacionamento professor-aluno, sua atitude em relação à instituição, seu planejamento, sua metodologia de ensino, seus valores, seu relacionamento com colegas de outras disciplinas. Cada área de conhecimento tem suas especificidades pistemológicas e metodológicas. Por isso, não existe uma “receita de bolo”. O que se torna fundamental é o conhecimento não somente acerca do conteúdo específico da disciplina que o professor leciona e, sim, os conhecimentos pedagógicos que ele terá para mediar o processo de ensino-aprendizagem. Neste sentido, faz-se mister, conhecer práticas participativas e colaborativas em que os docentes sejam rotagonistas dos processos de mudança. A ideia é introduzir espaços de reflexão conjunta, trocas de experiência, formas de negociação e tomada de decisões coletivas.

 

Revista Conhecimento Prático Língua Portuguesa | Ed. 61